A equipe de quadribol está no ar esta semana

A equipe ver claramente que a luz pode distorcer até as menores partículas notem que esta partícula desaparece aos poucos, esta partícula que então parece crescer e viver em nossa Direção porque quando, a luz fica mais intensa parece se tornar bem maior, agora, estão vendo, objeto atravessando as lentes e os painéis de vidro e está sendo iluminado pela luz que vêm da janela, a fragmentos fora da nave e também entre os painéis da janela como foram Parar dentro do vidro aqui nós podemos ver, os painéis vibrando, a freqüências diferentes e essa vibração passa para as bordas isso pode pressionar os painéis de vidro e pode também quebrar um pedaço bem pequeno pode ser qualquer, coisa, pode, ser, tinta, pode, ser, um, pedaço, um, pedaço De alumínio ou até mesmo material isolante, então aberrações, são comuns, não só fragmentos do lado de fora.
Podem ser ampliados como fragmentos internos que se quebram entre as camadas também podem parecer objetos estranhos à luz do sol e se.
Dizendo ângulos agudos sobre, o campo partículas de gelo todas essas explicações me parecem excelentes para os objetos que nós conseguimos ver nessas fotos então tudo isso mostra que quando olhamos pelos painéis múltiplos vemos mais do que está do lado de fora é certamente as coisas não são Exatamente o que parece existem muitos objetos que parecem distantes dos ônibus espaciais e que talvez não sejam é pedaços de gelo nem partículas de pó, eu não estou convencido de que, aquilo nos filmes da nasa sejam partículas pode haver algo mais lá, a demonstração de break pode Explicar alguns objetos vistos pelos astronautas, mas não, explicam imagens filmadas fora do ônibus espacial esses filmes mostram objetos que seriam controlados por algum tipo de inteligência 6 de agosto de 2005.
Antes do amanhecer sobre as águas que separam o avaí do continente americano uma, câmera, no ônibus, espacial discovery e sts, 114 fotografa várias luzes, não identificadas, no céu uma parece deter e depois mudar de direção, o vídeo foi acelerado para mostrar, mais claramente, a mudança de trajetória.
A nasa não é lúcida o que pode ser esse objeto mas sua explicação mais comum é que tais imagens são de cristais de gelo que se deslocam da nave neste caso essa explicação parece muito improvável mas o doutor jack reacher, professor emérito de física na universidade do Nebraska examinou este e outros vídeos da nasa e afirma que a explicação nem sempre é adequada várias idéias centrais, a acabaram por me convencer de que não se trata de partículas de gelo um objeto entrou, no quadro, no canto inferior, direito, parece parar mas não, para certo.
Não está se afastando está fazendo, a volta todos os outros objetos, no quadro estão, quase imóveis exceto e se, passou por aqui onde está, a terra e vai voltar mais baixo do que estava antes parece um objeto, controlado, racionalmente, fazendo, um, arco e voltando, para, a terra Pode haver outra explicação, o objeto poderia ser um meteoro ou, um cometa, cometas e meteoritos que se movem no vácuo continuam uma mesma trajetória exceto quando afetados por uma, força, externa, [, Música ] para que mude de direção ele precisa bater em algo, mas esse, objeto não, Parece colidir em nenhum outro quando eu vi as imagens eu achei que fossem estrelas da perspectiva de quem está em órbita é um objeto parece trazer um arco, perfeito, afastando-se, em, um plano orbital que está acima do nosso ponto de vista eu discordo, o objeto claramente muda De direção ser inteligente teria de fazer algo fora do arco, orbital natural isso, parece, um arco, natural e contínuo uma função de um objeto totalmente animado em uma órbita gravitacional, regular é difícil distinguir se objeto está em uma órbita, natural ou se muda de direção e mesmo Que o objeto estiver em órbita é muito improvável que seja um satélite um fragmento espacial que não seguiriam esse tipo de trajetória orbital mas, a missão sts 114 não foi, a única, a registrar, um evento anômalo, no espaço a equipe examinará uma das, evidências mais polêmicas que Já surgiram esta foi, a imagem que convenceu a nasa, a não divulgar, o vídeo [ Música ], a missão sts 48 filmou um objeto que mudava de direção em um segundo, ea sts 114 captou um objeto em uma, trajetória, muito, em, comum, mas no caso da sts; 75, a equipe achou as imagens tão instigantes que consultaram o pesquisador de ontem dol bom hoje nós mostraremos como é difícil para câmeras, bidimensionais, filmar, três, dimensões johnson acredita que esse experimento esclarecer as imagens filmadas pela missão, sts 75 um cabo se soltou da nave e foi Cercado por pequenas esferas ele criou uma representação espacial do cabo e das janelas da nave [ Música ] agora, podem ver que o cabo se soltou estão vendo esses flocos de neve ou discos, estão passando atrás do carro outros parecem estar em primeiro plano o que leva Muita gente a pensar que realmente eles estão lá essas partículas podem não passar de fragmentos de gelo que caíram da abav e estão fora de foco porque uma lente de telefoto foi usada, a nasa afirma que essas esferas são apenas fragmentos de gelo, em torno da nave E que estão fora de foco por causa da lente de tv fotos, a câmera está usando uma lente de telefoto que incorporava um espelho este furo; no centro do espelho também projeta um artefato, o mesmo que estão vendo nos discos à luz iluminava, os objetos por, trás E depois se refletia na lente espelhada os objetos então pareciam ter, a forma de lentes mesmo não sendo, o seu formato, real [, Música ] tindall demonstrar, a isso com, um exemplo, ele, preparou, uma, linha de pesca ea iluminou, por, trás com, uma, luz verde, mas quando, Passa em frente da câmera não parece mais uma, linha de pesca assume a forma de um círculo com, um furo, no meio a luz do sol em si dia atinge a cristais de gelo e os iluminava por trás fazendo os brilhar qualquer forma que estivesse em torno Da lente da câmera ou podemos dizer do percurso óptico afetaria a esses círculos confusos mas mesmo que sua forma possa ser explicada porque os objetos parecem passar por trás do cabo e cercá lo john instalou um cabo em um, ambiente tridimensional, para mostrar, como, ocorre, essa, ilusão De ótica [ Música ] estão vendo como, o carro está super exposto agora e num, mesmo estando em primeiro plano provoca, a ilusão de estar passando por trás, a imagem da câmera da nave está super resposta e os objetos parecem mais brilhantes do que são na verdade.